30/04/2015

Passado Até início dos anos 70, a academia era freqüentada por homens e a atividade oferecida era quase sempre a musculação. Academia era sinônimo de homem forte. Hoje a mesma musculação começa a receber outro nome: exercícios resistidos.

A febre do bem estar físico invadiu as academias no começo dos anos 80, tendo como marco a série “Workout”, estrelado por Jane Fonda, nascendo assim, a ginástica aeróbica com movimentos ainda suaves originados da dança. Em 1971 a professora Jack Sorensen muda os conceitos da ginástica ao criar a dança aeróbica cujo conteúdo era montado com exercícios simples ao som de músicas, enfatizando a continuidade. Até então, a musculação era a atividade física mais praticada nas academias, em seguida a ginástica localizada.

Presente Nascia uma nova era em conceito de equipamentos e academias, o método ar livre, disposto em praça pública para toda a população que buscava qualidade de vida sem custo, posteriormente sendo adaptada para dentro das academias com desenvolvimento de equipamentos que simulavam o bem estar oferecido, devido à febre das corridas e seus métodos revolucionários de avaliação de condicionamento físico.
A musculação não ficava para traz, induzida pelos filmes de Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger que exibiam suas forças e corpos esculturais. Além da invasão em massa das mulheres, por conseqüência da inovadora ginástica aeróbica que prometia perda de peso em um curto espaço de tempo. A ginástica aeróbica virou mania nacional havendo inclusive competição de trios, duplas e simples. Quem não tinha essa modalidade estava fadado ao fracasso a menos que tivesse um público certo para musculação e /ou lutas.

Atrás disso surgiram adaptações e mudanças na ginástica aeróbica, com mais liberdade de movimentos corporais e mais informal, arrebanhando as pessoas que não se sentiam à vontade com a complexidade que a ginástica aeróbica havia chegado. Resultados adquiridos com as atividades físicas e implantação de novos métodos de exercícios também apresentavam mudanças, alunos cada vez mais jovens em busca do corpo perfeito e a presença da melhor idade em busca da qualidade de vida e tratamento para problemas de saúde. A conscientização contra o sedentarismo apresenta resultados positivos, sendo possível observar hoje a palavra “academia” incluída em muitos dicionários. Se nos anos 70 a academia era um estabelecimento simples, hoje cresce o número das “megas academias”oferecendo as mais variadas atividades corporais.
Uma espécie de “tem tudo” e uma ótima fonte de renda. A atividade de maior aderência, tanto entre os homens como as mulheres continua a ser a musculação, em seguida a bicicleta ergométrica, a esteira, a ginástica localizada e o alongamento são as outras. Futuro Com o provável crescimento contínuo deste seguimento para o futuro, o melhor é inovar e garantir a integridade física dos alunos, as academias vão passar por mudanças para atender todo o tipo de público, assim como, os diferentes resultados, ganhando um novo conceito: Uma academia embaixo d’água O sistema é uma academia aquática compacta completa, com pesos embaixo d’água, polia e natação. Os exercícios na água são uma excelente maneira de ficar (ou continuar) em forma, com menos dores que os exercícios fora dela podem causar. As chances de lesão caem significativamente, porque mais de 90% do peso do corpo é suportado pela água. Com circuitos extremamente versáteis, combina treinamento de resistência e cardiomuscular.

O tipo de exercício que você faz é limitado apenas pela sua imaginação. Ginástica Laboral A ginástica laboral é a prática de atividades físicas orientada, realizada pelos trabalhadores coletivamente. Esta é feita no próprio local de trabalho, durante a sua jornada diária, visando melhorar a condição física do trabalhador. Diminui os impactos negativos na saúde do trabalhador, relaxa os grupos musculares e estimula o trabalho. Benefícios Aumenta os níveis de produtividade da empresa, investindo na saúde e bem-estar de seus colaboradores, proporcionando a eles um ambiente de trabalho mais saudável e livre de estresse. Atua na prevenção de doenças típicas do ambiente de trabalho como: •Tendinite •Dores musculares •Estresse e fadiga.

Mercado Uma das indústrias que mais crescem, são as fabricantes de equipamentos de ginástica, o número de consumidores deste mercado, no Brasil, já atingiu 3,4 milhões, ou seja, 2% da população do país. Estima-se que para atender este mercado exista mais de 20 mil academias, o que nos resulta em uma 2º colocação no ranking mundial e 1º na América Latina. O mercado interno do país vem crescendo a cada dia, não só em quantidade, mas também em qualidade, até porque seus clientes estão cada vez mais exigentes no ramo de estética corporal e na busca da saúde com conforto. Leis e Resoluções: Leis Federais Resolução nº 218, de 6 de março de 1.997 O Conselho Nacional de Saúde reconhece os Profissionais de Educação Física como Profissionais de Saúde. Lei Federal Nº 9.696, de 1 de setembro de 1.998 Dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Educação Física e cria os respectivos Conselho Federal e Conselhos Regionais de Educação Física. Leis Estaduais Lei Estadual Nº 11.361, de 17 de março de 2.003 Dispõe sobre a obrigatoriedade da disciplina de educação física. Resolução SE1, de 6 de janeiro de 2.004 Altera a Resolução SE nº 184/02 – Determina professor especialista para as aulas de Educação Física.
Por: BSFitness

Fonte: BS Fitness